Tratar diástases abdominais parece fácil para muitos profissionais. Eles imaginam que por se tratar de uma frouxidão excessiva na linha alba basta trabalhar com as musculaturas abdominais. O que esquecemos quando temos esse tipo de visão é dos motivos que levaram à formação da diastase abdominal.

Preparei um infográfico especialmente para você que precisa de ajuda para tratar seus pacientes com diástases. Sabemos que podem existir diversas causas, listei aqui as 4 principais delas. Através desse conhecimento conseguimos trabalhar de maneira completa com o aluno e proporcionar maiores resultados, vamos entender isso melhor?

Principais causas das diástases 

1. Alterações da gravidez

Durante a gravidez o corpo da mulher aproveita o crédito de frouxidão da linha alba para garantir espaço para as vísceras e para o crescimento do bebê. Durante esse período será necessário utilizar as cadeias musculares cruzadas ou de extensão para manter a postura correta e sem dores.

Por causa de tais adaptações na estática da gestante ela terá seu ponto de apoio localizado na região torácica. Diástases que surgem após a gravidez acontecem porque o corpo ainda não eliminou essas necessidades gestacionais. Será necessário tratá-la através da região torácica e flexibilizar os músculos largos do abdômen para evitar a tração da linha alba.

2. Conforto das vísceras

Todas as adaptações do corpo têm como foco garantir o conforto das vísceras. Caso exista necessidade o corpo aproveita da maior frouxidão da linha alba para acomodar as vísceras de maneira mais confortável. Para realizar o tratamento desses casos precisaremos descobrir o que ocasionou o problema e corrigi-lo. Um aumento de gases causado por uma alimentação incorreta pode ser uma das causas, por exemplo.

3. Contração excessiva dos músculos do abdômen

A musculatura abdominal possui diversas funções. Muitas vezes a pessoa realiza uma contração excessiva dessas musculaturas até na prática atividade física, levando a um aumento da PIA e comprimindo as vísceras. Como falei antes, o corpo sempre buscará o conforto das vísceras, fazendo com que ocorra a distensão da linha alba.

4. Aumento da pressão intra-abdominal

Boa parte dos pacientes que encontramos com diástases abdominais apresentam uma pressão intra-abdominal aumentada. Por isso é tão perigoso trabalhar com a contração do Power House nesses alunos. Ela pode aumentar ainda mais uma pressão que já está aumentada. O método hipopressivo é uma boa opção para quem precisa realizar um tratamento seguro e diminuir a pressão intra-abdominal do seu aluno.

Conclusão

Perceba que o tratamento das diástases abdominais não é tão simples e exige somente fortalecimento de musculatura abdominal. Na verdade, dependendo das causas das diástases requisitar a contração dessa musculatura torna-se perigoso. É necessário compreender bem o que causou a diástase em primeiro lugar para conseguir tratá-las.