A hérnia de disco é uma doença que causa cinesiofobia nos pacientes. Por isso, seu diagnóstico gera medo e insegurança que são completamente justificáveis, mas que prejudicam o prognóstico do indivíduo. Quer dar boas notícias para seu paciente? A reabsorção de hérnia de disco não só é possível, como também é provável. Entenda mais continuando a leitura.

O que é hérnia de disco?

Uma das melhores maneiras de compreender a hérnia discal e seu mecanismo de formação é pela lei de Pascal. Essa lei foi comprovada pelo físico e matemático francês Blaise Pascal. De acordo com ela, a alteração de pressão produzida em um fluido que está em equilíbrio é transmitida para todos os pontos desse líquido e as paredes do recipiente.

Porém, essa lei só pode ser aplicada ao corpo humano quando observamos certos fatores, em especial se algumas propriedade estão sadias. Para exemplificar, confira como a lei atua na coluna vertebral:

  1. A diferença de pressão: força aplicada sobre uma área, logo sabemos, que se a pressão for muito acima do suportado pelo corpo, os sistemas de contenção do anel fibroso poderão se romper.
  2. A densidade do fluido: logo um núcleo pulposo, desidratado ou rompido, estará, no mínimo mais sensível a Lei de Pascal.
  3. A gravidade: quanto mais alto, em altitude estivermos maiores riscos sofremos.
  4. A diferença em metros: entre as duas colunas do recipiente, vértebra suprajacente e vértebra subjacente, não podem estar com seu espaço intervertebral diminuído.

Com esses quatro princípios funcionando corretamente, teremos uma coluna sadia. Como consequência, as chances do surgimento de uma hérnia causada por movimentos cai muito.

Através dos estudos de Pascal sabemos que o movimento produzido entre as vértebras geram um aumento de força e pressão que é distribuído de forma coesa. Isso garante a segurança da vértebra. Assim, mesmo quando o núcleo pulposo é deslocado para um determinado lado dependendo do movimento, a pressão não fica aumentada naquele lado. Mesmo que a pressão do núcleo pulposo sofra alterações de pressão, ela é distribuída por todo o conjunto.

Como acontece a hérnia de disco?

A hérnia de disco ocorre quando parte do disco intervertebral (o núcleo pulposo) se projeta para além dos seus limites normais. Geralmente, a cartilagem é lesada após traumatismos como:

  • Quedas;
  • Acidentes automobilísticos;
  • Esforços ao levantar;
  • Encurtamentos musculares;
  • Envelhecimento;
  • Outros.

A lesão causa compressão de raízes nervosas e perda de sensibilidade na altura correspondente ao dermátomo. Também acontece perda ou falta total de força muscular e alterações do trofismo muscular correspondente à altura da herniação.(dermatomo correspondente)

Tipos de hérnia de disco

  • Hérnia de disco protrusa: é o tipo mais comum, quando o núcleo do disco permanece intacto, mas já há perda da forma oval;
  • Hérnia de disco extrusa: quando o núcleo do disco se encontra deformado, formando uma ‘gota’;
  • Hérnia de disco sequestrada: quando o núcleo está muito danificado e pode até mesmo se dividir em duas partes.

Tratamentos para a hérnia de disco

As hérnias de disco podem ter tratamentos conservadores ou cirúrgicos, e é isso que nosso paciente teme. Felizmente, tenho boas notícias para apresentar: estudos mostram que 60% a 90% dos casos de hérnia discal podem ser tratados somente com tratamento conservador. Esses métodos trazem resultados positivos mesmo em indivíduos com hérnia de disco extrusa ou déficit neurológico.

No tratamento conservador, muitos falam a respeito da importância do fortalecimento do Core. Realmente, o treinamento de estabilidade é essencial para esses pacientes e leva a um melhor equilíbrio e controle neuromuscular.

Porém, devemos tomar cuidado com esse trabalho de estabilidade. Se feito em excesso, podemos deixar nossos alunos com colunas vertebrais extremamente rígidas. As colunas do tipo funcional estáticas são menos móveis e com um equilíbrios mais precário, devemos prioritariamente trabalhar a mobilidade, pois esse tipo de coluna, acabam por gerar hérnias por compressão.

Durante o tratamento o paciente talvez, não precise de um trabalho de núcleo corporal. Lembre-se sempre que estamos trabalhando com um corpo viscerado e que o fortalecimento do Core pode aumentar a PIA e piorar o quadro de hérnia de disco. Portanto, o corpo deve ser móvel e estável, evitando desequilíbrios que prejudicam a reabilitação do aluno.

Será que a reabsorção de hérnia de disco é possível?

Quando eu falo em tratamento da hérnia de disco, poucos pensam que essa hérnia pode ser reabsorvida. Porém, estudos indicam que existe uma grande possibilidade de reabsorção de hérnia de disco parcial ou completamente.

Os primeiros casos de reabsorção foram reportados em 1984 por Geino et. al. após o tratamento conservador. Um ano depois, Teplik e Haskin reportaram 11 casos de hérnia discal com regressão espontânea. E desde então pesquisadores vêm encontrando reabsorção com taxas variadas.

Estudos recentes mostram entre cerca de 35% a 100% dos casos podem passar por reabsorção de hérnia de disco num período de 3 a 40 meses. Uma análise feita com 11 artigos envolvendo 587 pacientes com hérnia lombar nos dá uma perspectiva muito positiva para esses casos.

Em todos os artigos analisados os pacientes passaram por tratamento conservador. Dos 587 indivíduos, 380 tiveram reabsorção de hérnia de disco espontânea. A probabilidade de reabsorção da hérnia de 64%.

Nos estudos, os pacientes foram tratados através de:

  • Medicamentos;
  • Anti-inflamatórios;
  • Fisioterapia;
  • Terapia manual;

As taxas de reabsorção foram de:

  • 96% para disco sequestrado;
  • 70% para disco com extrusão;
  • 41% para protrusão;
  • 13% para abaulamento.

A maioria das regressões espontâneas aconteceu dentro de 1 ano de tratamento. Ou seja, é uma excelente notícia para nossos pacientes herniados!

Como acontece a reabsorção da hérnia discal?

Existem algumas hipóteses a respeito da reabsorção da hérnia de disco. Na primeira delas, a herniação retrai para dentro do disco correspondente, especialmente em casos de abaulamento e protrusão discal. Essa hipótese é apoiada por estudo in vitro de Scanell e McGill.

A segunda hipótese imagina que o processo de desidratação esteja mais relacionado à reabsorção. De acordo com ela, quanto menos desidratado o disco, maiores as chances de regressão do quadro clínico.

Por último, temos a hipótese de que a herniação causa reação inflamatória e neovascularização na área. Como resultado, o disco seria reabsorvido por processos de fagocitose e degradação enzimática.

Conclusão

Assim que um paciente é diagnosticado com hérnia de disco ele entra em desespero. Além do medo da cirurgia, essa pessoa teme ficar a vida inteira dependente e com seus movimentos prejudicados pela dor. Para nós, esse temor e insegurança são extremamente prejudiciais no tratamento.

Por isso, precisamos nos aproveitar de informações com embasamento científico, como as que apresentei nesse artigo, para mostrar ao nosso paciente que nem tudo está perdido. Nós podemos garantir a reabsorção de hérnia de disco. Conseguimos utilizar nosso conhecimento para melhorar o prognóstico e obter melhoras significativas com o tratamento.

Bibliografia

ZONG, Mhing et. al. Incidence of Instantaneous Resorption of Lumbar Disc Herniation: a Meta-Analysis. Pain Physician, 2017.