Depois de virar febre, os abdominais hipopressivos parecem uma solução mágica para todo tipo de aula.

Alguns dizem que emagrece, deixa o abdômen mais definido e que ajuda no tratamento de patologias. Como já falei no meu artigo sobre mitos da hipopressiva, algumas dessas informações são verdade e outras não.

Mas não é exatamente isso que pretendo discutir neste artigo. Na verdade, quero mostrar como usamos a hipopressiva em aula e em quais alunos ela deve ser aplicada. Já vou adiantando que conseguimos benefícios com o uso do método em quase todos os casos.

Benefícios dos Abdominais Hipopressivos

O método abdominal hipopressivo é conhecido por auxiliar a diminuir a pressão intra-abdominal.

Entre outros benefícios, também são exercícios responsáveis por fortalecer o períneo e diminuir a compressão de discos intervertebrais. Ou seja, conseguimos desenvolver uma coluna mais saudável e sem dores.

Quanto ao fortalecimento do períneo, precisamos lembrar que essa musculatura realiza a contração vaginal. Os exercícios também aumentam a circulação sanguínea na região, gerando mais sensibilidade. Por isso, a pessoa que pratica abdominais hipopressivos consegue aumentar a sensação de prazer durante o sexo.

A longo prazo teremos um sistema postural mais eficiente com circuitos neuronais autoexcitadores mais desenvolvidos. A atividade respiratória melhora já que os abdominais hipopressivos estimulam os centros expiratórios do tronco cerebral. Ao mesmo tempo, eles inibem os centros inspiratório.

O assoalho pélvico consegue ficar mais tonificado, assim como a faixa abdominal. Um de seus grandes benefícios que deve ser lembrado é o fortalecimento de musculatura abdominal profunda.

Esses efeitos tonificadores acontecem por causa da apneia expiratória que realizamos com os exercícios. Isso provoca um estado similar à hipercapnia. Com a ativação ou inibição dos centros respiratórios supraespinais também conseguimos alterar a tensão postural dos músculos relacionados a eles.

Será que devo usar Exercícios Abdominais Tradicionais?

Muitas pessoas se perguntam por que usar exercícios abdominais hipopressivos e não os abdominais tradicionais. Todo mundo sabe fazer os abdominais e parece até mais fácil de aplicar na aula, então por que não utilizá-los?

Existem estudos que mostram o efeito negativo dos abdominais clássicos, especialmente para mulheres. Sua influência é extremamente negativa sobre o tônus do assoalho pélvico feminino e pode ainda causar impacto nas patologias de prolapso pelviano.

O que chamamos de exercício abdominal é, na verdade, uma maneira de aumentar a pressão intra-abdominal. Sem maneiras de diminuí-la depois, a aluna acaba com maior carga sobre o períneo e a coluna. Além disso, esses exercícios são menos eficientes que a hipopressiva para gerar controle de músculos abdominais.

Ao praticar os abdominais hipopressivos, conseguimos melhorar o controle de musculaturas abdominais. Isso acontecer através de uma melhor percepção do abdômen e seus órgãos. A hipopressiva possui maior comprovação científica para seus usos terapêuticos em patologias. Podemos usá-la no tratamento de:

  • Artralgias Crônicas
  • Dorsalgias
  • Lombalgias
  • Cervicalgias
  • Ciatalgias
  • Escolioses Idiopáticas
  • Fadiga Crônica
  • Outros

Os abdominais hipopressivos não são um mero fortalecimento abdominal. Na verdade, podemos considerá-los exercícios posturais que também trabalham o ritmo respiratório. Durante as posições, o aluno passa por um trabalho proprioceptivo usando os seguintes pontos:

  • Anteriorização do Eixo de Gravidade: O aluno varia o eixo de gravidade e o desloca para a frente.
  • Autocrescimento Axial: Estiramento axial da coluna para provocar uma tensão dos espinhais profundos e extensores da coluna.
  • Decoaptação da Articulação do Ombro: Abdução das escápulas.
  • Respiração Costal: Respiração diafragmática com uma fase inspiratória e expiratória lenta e monitorada pelo terapeuta.
  • Apneia Expiratória: Fase de expiração total do ar e apneia mantida.

Praticantes com maior experiência realizam a apneia expiratório por 10’’ a 20’’. Nessa fase também é necessário realizar uma abertura costal para simular esse tipo de respiração, mas sem uma inspiração subsequente.

O movimento provoca um fechamento das glotes e contração voluntária do serrátil e músculos elevadores da caixa torácica. Na fase de apneia expiratória temos um relaxamento e sucção do diafragma, promovendo menor pressão torácica e abdominal.

O que devo saber antes de realizar Abdominais Hipopressivos?

Apesar de ser extremamente eficiente e comprovado para o tratamento de patologias, devemos tomar alguns cuidados ao aplicar o método na aula. Eles nunca devem ser realizados imediatamente após comer, dê essa instrução ao seu aluno.

Também devemos instruir o aluno corretamente que os músculos não são contraídos durante a sucção. Nenhum músculo é contraído, e a aspiração é realizada pela diferença de pressão. Os exercícios devem ser feitos com uma frequência de 3 a 5 vezes na semana para apresentar resultados.

Por último, o programa de treinamento deve ser realizado de maneira gradual. Inicialmente o aluno realiza poucas contrações e aumentamos esse número aos poucos. Sempre devemos respeitar os limites do corpo para evitar complicações.

Posso usar Abdominais Hipopressivos para Emagrecer?

Só a hipopressiva é incapaz de levar ao emagrecimento, apesar de ser um método eficiente para fortalecer músculos abdominais.

Se o aluno quiser atingir o emagrecimento precisa também realizar uma alteração drástica na dieta, que deve envolver um consumo menor de açúcar e calorias.

Além disso, ele precisa aumentar seu consumo energético ao realizar outros exercícios. Algumas sugestões são bicicleta, corridas e caminhadas. Porém, só os abdominais hipopressivos não terão o efeito desejado de emagrecimento.

A hipopressiva é um método que envolve um baixo gasto calórico por sessão. Assim, não auxilia na queima de gordura e só pode complementar o emagrecimento quando existem outras estratégias.

O que a hipopressiva realmente faz é deixar o abdômen mais tonificado quando já existe uma menor quantidade de gordura corporal.

Quando usar o Método Abdominal Hipopressivo

Existem diversas indicações para usar o método. Ele é bastante recomendado para mulheres no período pós-parto, por exemplo. Sua prática reduz as sequelas e ainda ajuda a aliviar dores lombares e prevenir a incontinência urinária. É claro que ao trabalhar com essas mulheres precisamos respeitar os limites impostos pelo médico.

Outra possibilidade de uso é no trabalho postural para melhorar a estabilização lombar. Usar os abdominais hipopressivos é uma ótima maneira de diminuir dores lombares e melhorar a postura do aluno sem aumentar a pressão sobre suas vísceras.

Quem sofre com incontinência e flacidez dos órgãos como vagina, bexiga, ânus e reto também deve incluir a hipopressiva no tratamento. Como já sabemos, as posições melhoram a tonificação do assoalho pélvico e de diversos músculos da faixa abdominal. Ou seja, também melhora a força contrátil do períneo, melhorando a continência.

Os resultados podem aparecer mais rapidamente em pacientes que são capazes de realizar as séries de maneira correta.

Quanto mais experiente se tornar o praticante, mais benefícios conseguirá com a prática. Como esses exercícios exigem muita concentração e consciência corporal, iniciantes ainda são incapazes de usarem todo seu potencial.

Você perceberá ao aplicar abdominais hipopressivos na aula que nem todos evoluem rapidamente.

Respeite essa característica do aluno e dê a ele o tempo necessário para atingir seus objetivos. Só o deixe ciente que os abdominais hipopressivos devem ser realizados da maneira correta para melhores resultados.

Além disso, devemos entender que ninguém apresenta melhora nas primeiras sessões ou semanas. Seus benefícios geralmente aparecem após pelo menos 4 semanas de terapia.

Quando não usar a Hipopressiva

Apesar de seus inúmeros benefícios, nem todos pacientes podem usar a hipopressiva.

Indivíduos hipertensos ou com patologias cardíacas, por exemplo, precisam de um acompanhamento especial e geralmente não podem praticar a técnica.

Grávidas também devem respeitar seu período de gravidez, usando a hipopressiva somente 3 semanas antes da data do nascimento da criança. Essa prática precisa ser orientada por profissionais especializados.