O corpo humano é marcado por diversas experiências que passamos ao longo da vida e, em alguns casos, podemos ver essas marcas claramente. As cicatrizes são expressões daquilo pelo qual o corpo passou e podem influenciar muito na organização corporal.

Por acaso você observa as cicatrizes do seu paciente ou aluno quando está realizando a avaliação estática? Espero que a resposta tenha sido sim, porque elas são importantíssimas para entender as compensações realizadas por esse corpo, como você pode conferir abaixo.

Importância de fazer a avaliação das cicatrizes

Enquanto realizamos a avaliação das cicatrizes na estática, precisamos ter os olhos atentos para todas as pequenas alterações no corpo do avaliado. Comece procurando por toda a extensão do seu corpo por cicatrizes. Barral foi o primeiro a mostrar que essas marcas podem ter consequência.

A má formação na teia de matriz cicatricial pode alterar o funcionamento mecânico do corpo. Portanto, devemos buscar essas marcas com atenção, já que elas podem ser algumas das causas que estão intoxicando o sistema musculoesquelético.

Cicatrizes tóxicas

Esse tipo de cicatriz é aquele que altera o funcionamento mecânico corporal. Elas são formadas após um ferimento ou intervenção cirúrgica, assim como boa parte das cicatrizes. No entanto, elas permanecem em reação com estímulos internos e externos depois de sua formação.

A cicatriz tóxica é capaz de causar uma contração muscular do músculo em questão. Ela também consegue modificar o tecido conjuntivo e o líquido extracelular que o circunda. Portanto, transforma-se numa área reativa, que chamamos de campo perturbador. Algumas das áreas onde essas marcas aparecem são:

  • Face;
  • Laterais do tronco;
  • Medianas da parede anterior do abdômen.

Preste muita atenção a cicatrizes horizontais, já que elas são mais nocivas para o desarranjo biomecânico. Só não se engane, não é o tamanho da cicatriz que define se ela é tóxica ou não.

Em alguns casos, marcas grandes não representam disfunções corporais, enquanto uma pequena cicatriz pode causar modificações teciduais no tecido conjuntivo e desregulação exteroceptiva. Ela implica em obstáculos para a correção postural durante o tratamento que elaboramos mais tarde.

Por que cicatrizes são tão importantes?

Para entender a desorganização corporal causada pelas cicatrizes basta observar o papel da pele. Ela é o maior órgão do corpo humano e é dotada de inúmeras terminações nervosas livres. Entre elas encontramos também grande qualidade de exteroceptores, como órgãos de Ruffini e Discos de Merkel. Essas células atuam como mecanorreceptores e são extremamente sensíveis.

Uma cicatrizes anterior de tronco pode, por exemplo, provocar uma projeção anterior do corpo. Isso acontece na tentativa de relaxar o estiramento do exteroceptor para conseguir um ajustamento no tônus muscular.

A pele também é um dos maiores órgãos do corpo que está exposto diretamente a estímulos do meio ambiente. Assim, ela realiza uma troca contínua de informações. O sistema de entrada pode ser perturbado em algumas ocasiões, como é o caso de uma cicatriz. Quando isso ocorre sua capacidade de interação com o ambiente interno e externo fica prejudicada.

Como saber se estamos diante de uma cicatriz tóxica?

Como mencionei, algumas cicatrizes são tóxicas independente do tamanho dela. Se o tamanho não é o suficiente, como podemos identificá-las durante nossa avaliação das cicatrizes? Confira alguns aspectos que você pode utilizar para identificar os tipos de cicatriz.

Aspectos de uma cicatriz normotrófica (que não causa distúrbios):

  • Cor próxima ao tom da pele;
  • Textura fina.

Agora, veja os aspectos de uma cicatriz tóxica, aos quais você deve estar muito atento durante a avaliação das cicatrizes:

  • Cor em tons de vermelho, variando entre tons claros, escuros e acastanhados;
  • Retrações;
  • Quelóides;
  • Alto relevo;
  • Trofismo, atrófica ou hipertrófica.

No entanto, não basta ver o aspecto da cicatriz para conseguir ter certeza se estamos diante de uma cicatriz tóxica. Ainda precisamos realizar testes adequados para ver se aquela marca consegue tornar-se um bloqueio para a correção postural ou não.

Testes para avaliação das cicatrizes

Os testes abaixo podem ser utilizados para avaliar a toxicidade de suas cicatrizes.

1. Baseado na cinesiologia aplicada

Para realizar esse teste podemos eleger qualquer músculo do corpo. Aqui exemplificarei usando o músculo bíceps braquial. O aluno deve manter o cotovelo em flexão enquanto o avaliador mantém as mãos na face anterior do antebraço avaliado.

Resista ao movimento em direção à função do músculo escolhido para teste e solicite que o avaliado faça uma força em sentido da flexão de cotovelo enquanto resistimos.

Durante a resistência, o avaliador deve tocar suavemente com a outra mão a cicatriz do avaliado. Caso a pessoa perca a força e permita que seu cotovelo seja levado à extensão o teste é considerado positivo. Ou seja, estamos lidando com uma cicatriz tóxica. Se não acontecerem alterações na resistência aplicada ao músculo temos uma cicatriz normotrófica.

2. Baseado no teste de pulsologia de nogier (teste da reação autonômica circulatória)

Esse é o teste de pulso radial. Nele, o avaliador toca o pulso radial do avaliado suavemente com o dedo indicador e médio. Ele percebe por alguns segundos a pulsação e, depois, toca a cicatriz em toda sua extensão com a outra mão.

Quando a cicatriz é tóxica o pulso diminui ou desaparece no momento do toque. Caso isso não aconteça é uma cicatriz normotrófica. A diminuição do pulso acontece por causa de uma desregulação humoral através da secreção do hormônio adrenalina que se liga ao receptor Beta 2 nos vasos das artérias musculoesqueléticas, que provoca vasodilatação e consequente redução da amplitude da onda do pulso.

Conclusão

Todos os aspectos do corpo do avaliado podem indicar motivos de um desequilíbrio postural. Por isso, o avaliador deve ter olhos atentos a qualquer alteração. As cicatrizes são problemas comuns que muitas vezes esquecemos de observar por estarmos muito atentos ao movimento.

Minha dica é aproveitar o momento da avaliação postural estática para realizar uma avaliação das cicatrizes mais detalhadas. Tente identificar se são tóxicas ou não.

Caso o resultado dos testes seja positivo e você esteja diante de uma cicatriz tóxica precisará trabalhar antes para melhorar sua matriz cicatricial. Se não fizer isso, o aluno será incapaz de manter os ganhos posturais que conseguirmos com o tratamento.

 

Bibliografia
  • Cadernos de Saúde Pública
  • On-line version ISSN 1678-4464
  • Cad. Saúde Pública vol.7 no.2 Rio de Janeiro Apr./June 1991
  • http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1991000200003
  • ANÁLISE/ANALYSIS
  • AbcMed  –  Exames e Procedimentos
  • Atalho: 70NEWKL
  • Raquianestesia: o que é? Quais os preparos necessários? Como é feita? Quais são as vantagens e as desvantagens?
  • Livro Cadeias Musculares do Tronco, Janaina Cintas
  • Nogier, Raphael, Boucinhas, J.C. – Prática Fácil de Auriculoterapia e Auriculomedicina, Editora: Ícone, 3ª edição, 2006