Aprenda como fazer Avaliação de Composição Corporal em seu aluno

Aprenda como fazer Avaliação de Composição Corporal em seu aluno

Um fator primordial para se alcançar o sucesso nos treinamentos ou tratamento do nosso cliente, é uma boa Avaliação de Composição Corporal. Estes dados somente são adquiridos seguindo protocolos e procedimentos adequados.

Para realizarmos uma boa Avaliação de Composição Corporal, é necessária uma anamnese completa utilizando dados como o IMC (Índice de Massa Corporal), RCQ (Relação Cintura-Quadril) e Antropometria.

De maneira concreta, ao mostrar os resultados para nossos alunos, entra em cena a Avaliação de Composição Corporal. Com ela, é possível traçar um trabalho de qualidade e segurança, com objetivos claros – seja ele estético, desportivo ou de reabilitação.

A composição corporal é definida como proporção entre gordura e tecido isento de gordura no corpo. Vamos entender melhor o que isso significa? Continue lendo texto!

Influência da Composição Corporal

A determinação da composição corporal tem grande importância na prática clínica e na avaliação de populações. Isso se deve, principalmente, à associação da gordura corporal com diversas alterações metabólicas.

Vários estudos mostram que a quantidade de tecido adiposo e sua distribuição pelo corpo estão associadas a elevados valores de:

  • Pressão Arterial;
  • Dislipidemias – com concentrações elevadas de triglicerídeos e reduzidas de colesterol de alta densidade (HDL);
  • Intolerância à glicose e resistência insulínica – os quais contribuem para a elevação do risco cardiovascular.

Diante da influência da quantidade de gordura corporal no estado de saúde dos indivíduos, são necessários métodos capazes de avaliar – de forma precisa e confiável -, a quantidade de gordura corporal em relação à massa corporal total.

6 razões que justificam uma avaliação de composição corporal:

  1. Determinar o ponto de partida para o início de programa de treinamento;
  2. Traçar a melhor maneira de conseguir um equilíbrio ideal entre gordura corporal e os compartimentos de gordura;
  3. Relaciona-se com o estado de saúde geral e desempenha um papel importante nos objetivos relacionados a saúde e aptidão física;
  4. Monitorar as mudanças nos componentes adiposos e magros durante os esquemas de exercícios com diferentes durações e intensidades;
  5. Melhor interação dos profissionais com os indivíduos e melhor informação relacionada com nutrição, controle de peso e exercício;
  6. Obter informações objetivas para os profissionais, correlacionando a composição corporal com o desempenho de esportes ou atividades do cliente.

Como realizar uma ótima Avaliação de Composição Corporal

Existem várias técnicas para realizar a avaliação de composição corporal:

  • Pesagem hidrostática;
  • Raio-X;
  • Condutividade elétrica corporal ou Bioimpedância;
  • Ultrassom;
  • Tomografia computadorizada;
  • Plestimografia com ar;
  • Entre outros.

Porém, a técnica de menor custo, maior facilidade de execução, melhor aplicabilidade no dia-dia e sem ser um procedimento invasivo é a ANTROPOMETRIA.

Antropometria

A palavra “antropometria” deriva do grego, é a mensuração do corpo humano.

ANTHROPOS – homem, METRON – equivale a medida.

Entre os métodos antropométricos, as dobras cutâneas são habitualmente utilizadas para determinação do percentual de gordura corporal – devido ao baixo custo operacional e à relativa simplicidade de utilização.

Existem, na literatura, mais de 100 equações que utilizam as medidas de dobras cutâneas e outras medidas antropométricas, como circunferências, para determinação da composição corporal.

Entretanto, a validade de equações que utilizam medidas de dobras cutâneas para predizer a composição corporal é restrita para a população da qual essas equações foram derivadas.

Portanto, a validade e acurácia dessas equações precisam ser cuidadosamente avaliadas no momento da sua escolha. Para selecionar o método e a equação mais adequados, fatores como, idade, sexo, etnia, nível de atividade física e quantidade de gordura corporal, precisam ser levados em consideração.

Cada profissional pode escolher que equação usar, porém, atentando-se a sempre se ater a mesma equação nas reavaliações e comparações de resultados

Dentre as principais equações existentes, podemos tratar como os principais sendo: McArdle, Guedes, Faulkner, Pollock, Yuhasz, Lohman.

Para ser útil, a avaliação depende completamente da habilidade do avaliador. As medidas devem ser realizadas de maneira cuidadosa, padronizada e reprodutível. Portanto, o avaliador deve ser bem treinado.

Onde encaixar a Antropometria?

O maior cuidado que deve ser tomado ao avaliar é a demarcação para as medidas. A demarcação é um ponto importantíssimo.

Se o profissional utiliza o adipômetro de forma correta, conhece os protocolos, mas no momento da demarcação comete um erro, mesmo que depois faça tudo correto (perimetria, dobras cutâneas), as medidas que serão tomadas serão inválidas pois não corresponderão com o posicionamento correto dos equipamentos.

Conclusão

A avaliação da composição corporal é um importante aspecto na determinação da condição física, em qualquer programa de emagrecimento ou na prevenção e tratamento de diversas doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, dislipidemias e cardiopatias, nefropatias…

Ou seja, é extremamente importante pela sua relação com o estado de saúde, dado ser indiscutível que tanto o excesso de gordura corporal, como o défice de massa magra apresentam relação direta com uma série de fatores de risco para o aparecimento ou o agravamento de condições desfavoráveis para a saúde.

Analisando os dados encontrados na literatura, e diante da importância da composição corporal sobre os aspectos de saúde dos indivíduos, é fundamental que o profissional tenha pleno conhecimento das técnicas, protocolos e equipamentos para, assim, gerar dados de alta qualidade e confiabilidade  para realizar a avaliação de composição corporal.

____________________________________________________________________________________________________

Este artigo foi escrito por Patricia Mazzer

Profissional de Educação Física, especialista em Nutrição, Saúde e Qualidade de Vida pela Unicamp. Além disso, Patricia também é instrutora do Curso Suspension, da Espaço Vida Pilates e também do Método Abdominal Hipopressivo.

Melhores do Ano 2018 – 5 Matérias Mais Acessadas Sobre Biomecânica

Melhores do Ano 2018 – 5 Matérias Mais Acessadas Sobre Biomecânica

Quando estava pensando no que eu poderia fazer para comemorar, no final de 2018, o sucesso do meu blog, várias opções especiais passaram pela minha cabeça.

Não posso deixar de comentar que foram 629.450 visualizações durante todo o ano! Mais de meio milhão em 12 meses, dá pra acreditar? É muito acesso em tão pouco tempo!

Isso me deixa extremamente feliz e, por esse motivo, preparei 4 especiais com os Melhores de Ano em 2018!

Cada especial é dedicado à uma categoria diferente do meu blog. São elas:

  • Hipopressiva;
  • Biomecânica;
  • Avaliação Postural;
  • Cadeias Musculares.

Abaixo, você pode encontrar os textos mais acessados e comentados da categoria Biomecânica! Espero que você aproveite todo o conhecimento que esse Top 5 pode trazer para a sua vida profissional.

Um feliz ano novo, e até o ano que vem! Aproveitem!

#5 – Dicas para alunos que sentem dor no punho durante apoio

Durante a aula conseguimos evitar algumas posições em alunos com dor e um problema muito comum é a dor no punho. Infelizmente, em alguns exercícios não tem jeito, precisamos do apoio das mãos. E isso pode gerar dor nesses pacientes.

Vamos lembrar alguns desses movimentos incômodos aqui:

  • Push Up;
  • Side Kneeling;
  • Pull Up;
  • Long Strech;
  • Front Splits;
  • Elephant;
  • Leg Pull up.

Esses movimentos são comuns, mesmo no imenso repertório de exercícios do Pilates. Algumas vezes você pede para seu aluno fazer um Pull Up, ele começa a fazer e nem chega na posição. Já começa a reclamar de dor.

Quer ler o texto completo? Basta clicar aqui!

Informações Gerais

  • Data da Publicação: 18 de agosto de 2017
  • Visualizações: 5.037

#4 – O que tem de mais novo nas pesquisas sobre a fáscia

A fáscia é um tema polêmico muitas vezes. Sabia que até seu nome causa confusão? O uso indiscriminado do termo fáscia gera confusão, forçando a Fascia Research Society (FRS) a estabelecer um comitê só para ele.

O Comitê de Nomenclatura da Fáscia (FNC) foi criado para esclarecer e registrar a terminologia correta relacionada à fáscia. Esse comitê tenta desenvolver e definir os termos:

Quer ler o texto completo? Basta clicar aqui!

Informações Gerais

  • Data da Publicação: 14 de agosto de 2017
  • Visualizações:  7.909

#3 – Quais são os tipos de alongamento e qual é o melhor

O alongamento é definido como uma atividade física que tem como objetivo melhorar a flexibilidade. Os exercícios devem levar ao estiramento de fibras musculares e aumentar seu comprimento. Seu principal resultado é aumentar a flexibilidade.

Podemos perceber dessa maneira a importância do alongamento para o funcionamento do corpo.

Falando de alongamento é impossível evitar que a imagem de atletas se preparando para começar um treino ou competição venha à mente.

Quer ler o texto completo? Basta clicar aqui!

Informações Gerais

  • Data da Publicação: 28 de julho de 2017
  • Visualizações: 8.493

#2 -Músculo Iliopsoas e Relação com a Dor Lombar

Na nossa tentativa de ver o corpo na globalidade podemos esquecer de alguns músculos específicos importantes para uma patologia. Um desses casos é o músculo iliopsoas, que pode estar entre um dos influenciadores de dor lombar e outras patologias da coluna.

Os desequilíbrios dessa musculatura são capazes de alterar a biomecânica de diversos movimentos.

Para que você consiga compreender como o iliopsoas pode estar entre os motivos de dor lombar preparei algumas dicas e esclarecimentos. Aqui aprenderemos sobre a anatomia e biomecânica da musculatura para compreender melhor suas compensações.

Quer ler o texto completo? Basta clicar aqui!

Informações Gerais

  • Data da Publicação: 14 de março de 2018
  • Visualizações: 8.779

#1 – Tudo que nunca te contaram sobre a Escoliose

 

 

 

 

 

Ouvir que tem uma escoliose soa como problema para qualquer paciente. Eles não sabem o que a palavra significa, mas ficam com medo do tratamento e de precisar de cirurgia. Felizmente o Pilates oferece um tratamento conservador que ajuda a manter o funcionamento da coluna vertebral e evitar evoluções da curva.

Mas quero ir além disso e melhorar ainda mais seu atendimento. Para isso precisamos entender a Escoliose e essa nova visão que proponho.

Quer ler o texto completo? Basta clicar aqui!

Informações Gerais

  • Data da Publicação: 30 de junho de 2017
  • Visualizações: 14.427

 

*Dados computados até o dia 11/12
Presente de Natal 2018 – 3ª Mini Aula sobre Biomecânica do Pilates

Presente de Natal 2018 – 3ª Mini Aula sobre Biomecânica do Pilates

Como vocês sabem, 2018 foi ótimo ano para o meu Blog! Foram 629.450 visualizações durante todo o ano! Mais de meio milhão em 12 meses, dá pra acreditar? É muito acesso em tão pouco tempo!

Por isso decidi dar um presente de natal para todos vocês leitores fiéis que acompanham de perto todos os meus textos, me ajudando a tornar o blog bem maior a cada dia que passa!

Assim, resolvi divulgar um mini curso exclusivo que meus alunos da Semana de Biomecânica do Pilates tiveram acesso em setembro! Como vocês foram leitores incríveis durante esse ano, decidi liberar essas aulas como Presente de Natal.

Serão 3 mini aulas nos próximos dias:

  1. Introdução à Biomecânica do Pilates (21/12)
  2. Pressão Intra Abdominal e Estabilização Segmentar (23/12)
  3. Posicionamento Correto da Coluna (25/12)

São 3 mini aulas em 3 dias diferentes que vão abordar conceitos importantes de Biomecânica de acordo com as dúvidas que meus alunos perguntam o ano todo em minhas aulas.

Vamos assistir?

Mini Curso Biomecânica do Pilates – Aula 3

Presente de Natal 2018 – 2ª Mini Aula sobre Biomecânica do Pilates

Presente de Natal 2018 – 2ª Mini Aula sobre Biomecânica do Pilates

Como vocês sabem, 2018 foi ótimo ano para o meu Blog! Foram 629.450 visualizações durante todo o ano! Mais de meio milhão em 12 meses, dá pra acreditar? É muito acesso em tão pouco tempo!

Por isso decidi dar um presente de natal para todos vocês leitores fiéis que acompanham de perto todos os meus textos, me ajudando a tornar o blog bem maior a cada dia que passa!

Assim, resolvi divulgar um mini curso exclusivo que meus alunos da Semana de Biomecânica do Pilates tiveram acesso em setembro! Como vocês foram leitores incríveis durante esse ano, decidi liberar essas aulas como Presente de Natal.

Serão 3 mini aulas nos próximos dias:

  1. Introdução à Biomecânica do Pilates (21/12)
  2. Pressão Intra Abdominal e Estabilização Segmentar (23/12)
  3. Posicionamento Correto da Coluna (25/12)

São 3 mini aulas em 3 dias diferentes que vão abordar conceitos importantes de Biomecânica de acordo com as dúvidas que meus alunos perguntam o ano todo em minhas aulas.

Vamos assistir?

Mini Curso Biomecânica do Pilates – Aula 2

Presente de Natal 2018 – 1ª Mini Aula sobre Biomecânica do Pilates

Presente de Natal 2018 – 1ª Mini Aula sobre Biomecânica do Pilates

Como vocês sabem, 2018 foi ótimo ano para o meu Blog! Foram 629.450 visualizações durante todo o ano! Mais de meio milhão em 12 meses, dá pra acreditar? É muito acesso em tão pouco tempo!

Por isso decidi dar um presente de natal para todos vocês leitores fiéis que acompanham de perto todos os meus textos, me ajudando a tornar o blog bem maior a cada dia que passa!

Assim, resolvi divulgar um mini curso exclusivo que meus alunos da Semana de Biomecânica do Pilates tiveram acesso em setembro! Como vocês foram leitores incríveis durante esse ano, decidi liberar essas aulas como Presente de Natal.

Serão 3 mini aulas nos próximos dias:

  1. Introdução à Biomecânica do Pilates (21/12)
  2. Pressão Intra Abdominal e Estabilização Segmentar (23/12)
  3. Posicionamento Correto da Coluna (25/12)

São 3 mini aulas em 3 dias diferentes que vão abordar conceitos importantes de Biomecânica de acordo com as dúvidas que meus alunos perguntam o ano todo em minhas aulas.

Vamos assistir?

Mini Curso Biomecânica do Pilates – Aula 1

3 Leis Ergonômicas aplicadas à Biomecânica do Pilates

3 Leis Ergonômicas aplicadas à Biomecânica do Pilates

As leis ergonômicas são aplicadas em diversos ramos de atividade para conseguir melhoras. Na indústria, por exemplo, elas ajudam a diminuir a incidência de acidentes de trabalho e lesões por atividades laborais, além de gerar um aumento da produtividade. No escritório, servem para manter trabalhadores focados e confortáveis. Então, por que não podemos utilizá-las no Pilates?

Continue lendo esse artigo para aprender 3 leis ergonômicas e como elas têm tudo a ver com o Pilates. Uma dica rápida: Joseph Pilates, o criador do Método, já sabia disse, então não existe motivo para ignorar esse conhecimento.

O que Joseph Pilates tem a ver com Ergonomia?
joseph pilates 2

Sabemos que Joseph Pilates teve uma visão inovadora para sua época que permanece relevante até os dias de hoje. Considerando esse seu imenso conhecimento, ele não poderia ter ignorado fatores tão importantes como as leis ergonômicas. Realmente, Joseph aplicou tais princípios em especial na criação de seus equipamentos.

Encontramos um exemplo claro no Universal Reformer. O equipamento foi criado com a intenção de reformar todo o corpo e possibilitar a realização de todos os movimentos. Por isso, Pilates precisou considerar a anatomia e biomecânica do corpo humano. Ele precisava de um equipamento que, além de deixar o indivíduo realizar uma variedade de movimentos, também o ajudasse a melhorá-los.

Na sua concepção, a carga era um elemento essencial. Movimentos feitos com carga externa seriam um tipo de preparação para o corpo. Assim que a carga fosse retirada, esse corpo teria movimentos mais eficientes e harmoniosos, ou seja, com menos incidência de lesão.

A Eficiência das Molas

Ao contrário de outras atividades físicas, Pilates foi genial a ponto de desenvolver uma nova maneira de aplicar carga: as molas. As encontramos em diversos dos seus equipamentos, como o Cadillac, mas especialmente no Reformer. O conceito de molas é muito valioso para o Pilates por conta de sua eficiência.

Se Joseph Pilates precisou das leis ergonômicas para desenvolver seus equipamentos, por que podemos ignorá-las para aplicar uma aula de Pilates? Agora entenderemos como essas leis se relacionam ao Pilates e como melhorar as sessões com seu uso.

Tríade Básica da Ergonomia

As principais leis ergonômicas são conhecidas como tríade básica da ergonomia. Elas são: segurança, conforto e eficiência. Considere que a ergonomia surgiu do desejo do ser humano de diminuir o esforço físico e mental para a realização de certas tarefas. Portanto, esses princípios ergonômicos são utilizados em objetos e ferramentas do dia a dia para proporcionar maior bem-estar ao indivíduo.

Para entender melhor como essa tríade é importante para o Pilates, podemos ver outros exemplos da sua utilização. Nas duas Guerras Mundiais, a ergonomia ganhou importância para a fabricação de equipamentos de guerra. Existia uma grande dificuldade de fabricar equipamentos, veículos, armas e outros produtos bélicos adaptados às necessidades dos soldados.

Foi necessário aplicar essas Leis Ergonômicas para conseguir adaptá-los aos variados tipos de corpo de soldados de cada país. Ainda hoje utiliza-se a ergonomia para fabricar-se cadeiras, veículos e móveis capazes de garantir conforto e qualidade de trabalho para os indivíduos.

Leis Corporais do Pilates

No Pilates, a ergonomia é essencial na adaptação dos equipamentos e exercícios aos variados tipos de corpo, lesão e patologias encontradas na prática. Além disso, conseguimos relacionar a Tríade Básica da Ergonomia às Três Leis Corporais que usamos no Pilates.

  • Lei do conforto = conforto: A presença de um desconforto (dor) demonstra sempre um desequilíbrio do corpo ou da atividade, que deve ser investigado e tratado, para que este corpo volte a trabalhar no equilíbrio, logo no seu conforto.
  • Lei do equilíbrio = segurança: Um corpo em equilíbrio gera segurança para realização de uma atividade, enquanto uma atividade segura mantém o equilíbrio corporal.
  • Lei da economia = eficiência: Um trabalho corporal eficiente utilizará de toda sua energia potencial para gerar energia cinética, evitando sobrecargas em áreas e/ou regiões específicas.

Ou seja, as leis ergonômicas estão de acordo com princípios utilizados na prática do Pilates. Precisamos aproveitar isso a nosso favor.

Como as Leis Ergonômicas são aplicadas ao Pilates?

Além de relacionar a tríade básica da ergonomia às leis que regem o corpo, também conseguimos aplicar outras leis ergonômicas ao Pilates.

De acordo com a ergonomia, o corpo humano deve trabalhar numa posição neutra que forneça menor tensão muscular em geral, além de garantir o melhor ponto de equilíbrio. Consideramos essa lei ao adequar o posicionamento de nosso aluno em todos os exercícios de Pilates. Sempre ouvimos falar em coluna neutra durante a execução de exercícios de Pilates. A ergonomia apoia e fundamenta isso através dessa lei.

As leis ergonômicas também falam a respeito da postura ideal que o indivíduo deve adotar durante sua atividade de trabalho ou lazer. Elas enfatizam a necessidade de existir flexibilidade no corpo para evitar sobrecarga durante a realização de diversas atividades.

Os princípios ergonômicos procuram uma adaptação do ambiente e do corpo para manter a qualidade de vida do trabalhador. Isso não se desvia do Pilates, pelo contrário, encontramos grande apoio neles para nossa aula. Os corpos que encontramos são sempre diferentes e precisam de adaptações únicas, seja nos exercícios ou no próprio uso de equipamentos.

Lembre-se que, quando os criou, Joseph Pilates já levou as leis ergonômicas em consideração. Portanto, seus equipamentos podem ser adaptados para qualquer porte físico de acordo com a necessidade.

Aplicação dos tipos de ergonomia em nossa aula

A ergonomia é dividida em alguns tipos, que são:

  • Ergonomia Física: estuda as reações do corpo humano as cargas físicas. Exemplos: a manipulação de materiais, o arranjo físico de estações de trabalho, as demandas do trabalho como repetição, vibração, força e postura estática.
  • Ergonomia Cognitiva: se preocupa com os processos mentais, tais como: percepção, atenção, cognição, controle motor e armazenamento e recuperação de memória, incluindo carga mental de trabalho, vigilância, tomada de decisão, desempenho de habilidades, e o erro humano.
  • Ergonomia Organizacional: esta analisa a estrutura organizacional, as políticas e os processos do trabalho. Neste item estão inclusos o trabalho em turnos, a hierarquia organizacional, o trabalho em equipe, a teoria motivacional, a ética profissional e o trabalho a distância.

Sabe como deixar sua aula de Pilates muito mais completa e eficiente? Basta utilizar esses três tipos de ergonomia no planejamento. Conseguimos aplicá-los em todas as áreas da aula, incluindo:

  • A designação da carga de cada exercício;
  • Posicionamento correto das molas para cada biótipo (ergonomia física);
  • Sequência de execução e metodologia do método (ergonomia organizacional);
  • Orientação do aluno para manter-se concentrado durante o exercício (ergonomia cognitiva).

Conclusão

Percebeu o quanto as Leis Ergonômicas contribuem para o bem-estar da população? Unindo elas ao Método Pilates, podemos proporcionar resultados incríveis aos nossos alunos!