Boa parte das pessoas já sentiu dor na coluna e nunca foi buscar ajuda médica. Imagino que até você, mesmo sendo profissional do movimento, acabe ignorando uma dor de vez em quando. Estamos condicionados a ignorar dores que ocorrem de vez em quando sem pensar duas vezes. Se a dor for de intensidade moderada a média então, dificilmente alguém buscará tratamento.

Existe um problema sério de subnotificação dos desvios posturais. A maioria das pessoas que sofre com eles (que é muita gente) não percebe que existe um problema. A dor lombar no fim do dia é atribuída ao cansaço. “Talvez seja culpa de algum esforço físico diferente, de um jeito de abaixar errado. Daqui a pouco vai passar”, pensam.

Depois de ignorar a dor como algo pequeno, a pessoa toma um medicamento para a dor, geralmente analgésicos ou relaxantes musculares, e descansa um pouco. Realmente, o desconforto passa por causa do descanso e do efeito medicamentoso.

Quer baixar um ebook completo sobre Avaliação Postural gratuitamente? Clique aqui para baixar

Porém, os desvios posturais que foram a causa não desapareceram.

Desvios da postura são mais comuns do que a maioria imagina. Estima-se que cerca de 93% da população mundial possua algum tipo, mesmo que seja bastante moderado. O mesmo se pode dizer das dores da coluna vertebral. A dor lombar é a mais comum e quase todo mundo experimenta um episódio pelo menos uma vez na vida.

Sabendo de tudo isso, quero te fazer uma pergunta: quantos alunos ou pacientes te procuram para corrigir desvios posturais buscando a prevenção ou cura de dores musculares moderadas? Não muitos, certo?

A maioria dos pacientes só percebem que precisam de ajuda quando a dor é constante ou forte demais para ser resolvida com um relaxante muscular. Entenderemos nesse artigo como os desvios musculares podem causar dor e porque devemos identificá-los e tratar antes mesmo da dor surgir.

Causas dos Desvios Posturais

Existem diversos motivos que levam ao surgimento de um desvio postural, mas a maior parte dos casos está relacionado a hábitos modernos. O corpo, criado para o movimento e a ação, está tornando-se cada vez mais sedentário.

Longos períodos em uma única posição fazem com que algumas musculaturas fiquem tensas enquanto outras se encurtam. Um caso bastante comum, por exemplo, é o da amnésia glútea, uma causa frequente da dor lombar inespecífica.

Usando o exemplo da amnésia glútea, é possível entender por que a dor surge em um corpo que deixa de se mover. Os músculos glúteos possuem uma função de suporte que permitem a bipedestação. Ou seja, eles nos ajudam a ficar em pé enquanto realizamos outras tarefas.

Mas a vida moderna incentiva pouco movimento com muito tempo sentado ou em repouso. Mesmo nos momentos de lazer as pessoas optam por ficarem sentados em frente a uma televisão ou computador. Com o tempo, a falta de uso do glúteo máximo gera perda de tônus muscular e força.

Além disso, o quadril perde sua função e passa a realizar compensações para manter o movimento. Como resultado, vemos também uma alteração na posição lombar que surge com o maior uso de musculaturas acessórias do quadril. É uma série de compensações que leva a desvios posturais e mais tarde dor, tudo causado pela falta de movimento.

O sedentarismo é parte importante das causas de desvios posturais. Também encontramos outros motivos, como:

Algumas vezes também vemos diversos fatores se combinando para gerar o desvio que mais tarde se torna uma patologia. Para compreender bem o problema do corpo, você precisará trabalhar com uma boa avaliação postural para identificar os principais motivos.

Como surge a Dor?

Entendemos como os desvios posturais aparecem, mas não significa que isso necessariamente leva à dor. Lembra que boa parte das pessoas não busca tratamento do desvio até surgir uma lesão ou dor aguda? Isso acontece porque muitas vezes os resultados demoram a aparecer.

Precisamos lembrar nesse momento que o corpo está sempre em busca de equilíbrio e conforto. A intenção é se movimentar gastando a menor quantidade de energia, garantindo conforto às vísceras e protegendo estruturas vitais.

Nem sempre isso é possível, especialmente quando existe um desvio postural. Quando a postura está comprometida, o corpo perde sua mobilidade e estabilidade. Mas ainda existe necessidade de continuar se movendo. Assim, surge algo que já conhecemos bem: desequilíbrios e compensações musculares.

Voltarei ao exemplo da amnésia glútea aqui. O glúteo está incapaz de realizar suas ações corretamente. Só para lembrar: a amnésia glútea não é um desvio postural em si, mas causa desvios do quadril e da coluna lombar.

Para que os movimentos continuem, os isquiotibiais entram em ação. É a ação desse extensor de quadril que faz com que os principais desvios posturais apareçam e se mantenham.

A dor lombar em casos de um glúteo disfuncional surge por causa da compressão de estruturas da coluna. Isso acontece pela perda de estabilidade e sustentação da coluna, além de exagero da curvatura lombar.

Teremos nos casos de desvio postural tensões musculares que com frequência causam pontos-gatilho, uma das fontes de dor. Também existem fraquezas que levam ao desequilíbrio articular e compressão de outras estruturas.

Tudo é uma série de compensações que o corpo faz para conseguir voltar ao estado de equilíbrio e continuar se movendo.

Tratamento de Desvios Posturais

Na verdade, não existe um protocolo padrão para tratamento de desvios posturais que eu possa te oferecer. De nada adianta você querer pegar uma sequência de exercícios, aplicar em aula e esperar um resultado igual para todos os pacientes.

Já passou da hora de entender que cada corpo é único e que precisamos tratá-los dessa maneira. Portanto, o tratamento ideal começa com uma avaliação postural detalhada. Precisamos saber por que aquele desvio surgiu e quais compensações ele gerou.

A escoliose é um bom exemplo. Você precisa analisar se existem fatores externos que geraram o desvio da coluna.

Será que o paciente possui algum aparelho corretivo dentário causando tensões e um esquema de forças alterado? Ou uma hérnia de disco que faz com que o corpo se altere para evitar a dor? Tudo precisa ser considerado!

Depois de identificar as causas, chega a hora de corrigi-las. Vá aos poucos e comece a dar mobilidade à coluna. Ela também precisa de estabilidade, mas nada que comprometa seus movimentos.

É importante tomar cuidado com a tendência de só estabilizar e tirar os movimentos da coluna vertebral.

Para isso você pode utilizar os inúmeros exercícios do Método Pilates. Cada um deles possui sua maneira única de flexibilizar, mobilizar e estabilizar a coluna vertebral. Só lembre-se de adaptá-los para cada tipo de coluna trabalhada.

Conclusão

Não dei uma visão detalhada sobre cada desvio postural porque esse não era o objetivo desse artigo. Mas tenho boas notícias: já falei em detalhes sobre alguns problemas da coluna bastante importantes no blog.

Quer aprender mais sobre os principais desvios posturais? Então vou deixar uma lista de sugestões de leitura abaixo para você continuar estudando.

Bibliografia
https://portalseer.ufba.br/index.php/cmbio/article/view/4150
Lafond D, Normand MC e Gosselin G, Rapport force, Journal of Canadian Chiropractor Association 42 (2), 90-100, 1998.
Vakos JP, Nitz AJ, Threlkeld AJ, Shapiro R e Horn T (1994): atividade eletromiográfica de músculos selecionados do tronco e quadril durante um elevador agachado. Spine 19 (6), 687-695.
Noe DA, Mostardi RA, Jackson, ME, Porterfield JA e Askew MJ (1992): Actividade miioeléctrica e sequenciação de músculos de tronco seleccionados durante levantamento isocinético. Spine 17 (2), 225-229.