Conhecemos o Pilates por seus vários benefícios físicos, assim como outros exercícios e esportes. No entanto, muitas vezes esquecemos que eles também são importantíssimos para o psicológico de nosso aluno. Felizmente, o Pilates para saúde mental pode ser uma ferramenta poderosa. Quer entender mais sobre? Então continue a leitura!

Separei algumas evidências científicas que mostram o potencial do Pilates para saúde mental. Aproveite para entender melhor como conseguir oferecer bem-estar como parte dos benefícios de suas aulas. Seus alunos certamente vão adorar conseguir melhorar a autoestima e diminuir as chances de desenvolver doenças, como ansiedade e depressão.

Importância da atividade física para saúde mental

Imagino que você e seus alunos já cansaram de ouvir falar a respeito da importância da atividade física para a vida diária. Temos um corpo que foi feito para o movimento, mas que tende a mover-se cada vez menos por causa de hábitos modernos.

Por isso, existem muitos profissionais do movimento – como eu e você – que trabalham diariamente para proporcionar melhor qualidade de vida para alunos e pacientes.

Quando falamos em qualidade de vida relacionada a atividades físicas, geralmente pensamos em fatores físicos. Entre eles, os principais incluem perda de peso, melhora nas dores, aumento da funcionalidade do corpo. Mas a prática de exercícios vai muito além desses benefícios e entra na esfera da saúde mental.

Tudo começa com a importância da atividade física para a liberação de hormônios. As atividades aeróbicas fazem com que o corpo libere endorfina, o hormônio responsável pela sensação de bem-estar.

É a mesma substância liberada quando comemos chocolate ou durante a atividade sexual. Ou seja, nosso aluno consegue melhorar seu humor significativamente depois de uma sessão de treino.

Além disso, a prática de exercícios consegue influenciar fatores importantes, como a autoestima e percepção corporal. Eles são essenciais para a qualidade de vida e recebem cada vez mais foco atualmente. Exercícios também são excelentes para controlar o estresse e prevenir males comuns, como depressão e ansiedade.

Pilates e outras atividades físicas são realmente eficientes?

Deu para entender como o exercício físico é benéfico para a saúde mental, certo? Mas será que eles são realmente tão eficientes assim? Não precisa acreditar somente na minha palavra, estudos indicam que isso é realidade.

Como exemplo, quero citar um estudo realizado na Espanha com 212 participantes. Os integrantes do estudo tinham idade média de 41 anos para as mulheres e 43 anos para os homens e todos trabalhavam no setor terciário ou de serviços. Eles foram divididos em quatro grupos:

  • Praticantes de Pilates, com 57 indivíduos;
  • Praticantes de Pilates e outras atividades físicas, com 68 indivíduos;
  • Praticantes de outras atividades físicas, com 43 indivíduos;
  • Sedentários, com 44 indivíduos.

A intenção do estudo era confirmar os benefícios das atividades físicas para os fatores psicológicos e se o Pilates para saúde mental era comparável a outras atividades. Os resultados foram bastante positivos.

Como foi o estudo?

A pesquisa utilizou um questionário sociodemográfico e outras ferramentas, como índice de autoeficiência geral, autoestima, escalas psicológicas do questionário de personalidade situacional e revised life orientation test. Eles serviram para medir fatores psicológicos e laborais de cada indivíduo no teste.

Os sedentários tiveram notas mais baixas em todos os itens dos questionários e ferramentas. O grupo de Pilates combinado com outras atividades físicas foi o contrário, com notas mais altas para saúde psicológica, com exceção da autoestima, em relação ao restante.

As diferenças entre notas para os 3 grupos de exercícios físicos não foram significativas. Portanto, o Pilates pode ser comparado a outras atividades quanto ao quesito saúde mental e ajuda a trazer mais bem-estar para a vida de nossos pacientes.

Como o Pilates pode ajudar?

Outro estudo avaliou as diferenças entre pessoas que realizaram um protocolo de Pilates e pessoas que mantiveram seu estilo de vida sedentário. Ele trouxe insights importantes para nós, profissionais que queremos usar o Pilates para saúde mental.

O estudo foi realizado com mulheres voluntárias entre 18 e 25 anos. Ao todo, foram 25 participantes para o grupo de Pilates e 26 participantes para o grupo controle. O grupo de Pilates realizou um protocolo de treinamento de 6 semanas, enquanto o controle manteve seu estilo de vida sedentária durante o período.

Todos os participantes passaram por avaliação física e fatores psicológicos – em especial ansiedade, depressão, fadiga e qualidade de vida. Inicialmente, não existiam diferenças em qualquer um dos fatores nos dois grupos avaliados.

O grupo de Pilates realizou um protocolo de 6 semanas de MAT Pilates com 2 sessões semanais de mais ou menos 40 a 50 minutos. As atividades eram em grupo, algo feito intencionalmente considerando os possíveis benefícios da socialização para a motivação das alunas.

Ao fim do estudo, o grupo de Pilates experimentou redução significativa dos níveis de ansiedade, fadiga e outros fatores psicológicos. O mesmo não aconteceu com o grupo de controle, que não apresentou mudanças nas variáveis de qualidade de vida.

Por que o Pilates para saúde mental é tão eficiente?

Os efeitos de estudos relacionam o Pilates para saúde mental como uma excelente ferramenta. O motivo pode estar nos seus benefícios para vários fatores da vida cotidiana que geram estresse e ansiedade no indivíduo. Alguns deles são a melhora na:

  • Energia;
  • Qualidade do sono;
  • Atenção, concentração;
  • Circulação sanguínea;
  • Oxigenação do cérebro;
  • Relaxamento muscular;
  • Respiração.

Com o organismo funcionando adequadamente, incluindo sono em dia, a pessoa consegue passar por suas atividades diárias mais relaxada e tranquila. Além disso, a prática do Pilates aumenta os níveis de serotonina no corpo.

Esse hormônio é relacionado ao desenvolvimento de depressão quando está em quantidades baixas, portanto seu aumento também ajuda na prevenção da doença.

Quanto tempo de prática o aluno precisa para começar a perceber os efeitos?

No estudo que mencionei mais cedo nesse artigo, realizou na Espanha, os praticantes de Pilates foram divididos em dois grupos: quem praticava o método há 5 anos ou mais e quem praticava há menos que 5 anos. O resultado foi que os praticantes mais antigos do Pilates conseguiram notas maiores para variáveis de saúde mental.

Portanto, é possível imaginar que, quanto mais tempo alguém praticar Pilates, melhores serão os efeitos de bem-estar e isso é verdade. No entanto, existe mais uma variável que precisamos considerar: a regularidade.

Os efeitos que mencionei no tópico anterior são passageiros. Seu aluno consegue melhorar o sono, conseguir mais relaxamento muscular e ter melhor circulação sanguínea. Mas, assim que ficar alguns dias sem praticar esses fatores voltam a ser como eram anteriormente.

Por isso, se quisermos realmente oferecer melhor qualidade de vida para alunos e pacientes, precisamos incentivar a prática regular. Isso não se consegue somente avisando o aluno que ele precisa treinar sempre ou vai perder os benefícios que ganhou. Devemos encontrar formas de desenvolver aulas interessantes e motivadoras, feitas especialmente para nosso aluno.

Assim, o desenvolvimento de uma avaliação eficiente e o conhecimento a respeito do próprio Método são essenciais. Só assim você consegue oferecer uma experiência única e motivadora, que faz a pessoa continuar treinando por anos para conseguir ainda melhores benefícios.

Conclusão

Podemos e devemos aproveitar os efeitos do Pilates para saúde mental. O Método não só faz com que o corpo fique equilibrado, mas também a mente. Isso é importantíssimo, especialmente numa sociedade que é cada vez mais afetada por doenças vindas de fatores psicológicos.

A depressão é um bom exemplo disso. De acordo com a OMS, ela afeta 4,4% da população mundial e 5,8% dos brasileiros. Isso faz com que o Brasil torne-se o campeão em depressão em toda a América Latina. Não podemos substituir o profissional especializado em saúde mental, mas podemos ajudar na prevenção e tratamento.

Como vimos, através da prática regular é possível conseguir melhora em diversos aspectos da qualidade de vida de um aluno. Então motive seus alunos e pacientes, mostre para eles tudo que o Pilates tem a oferecer.

Bibliografia