No Método Pilates sempre iniciaremos o trabalho das cadeias musculares através de uma preparação, afim de normalizar as pressões internas intracavitárias (PIA), além do alongamento excêntrico do músculo diafragmático através da ginástica hipopressiva. A partir de então, seguiremos nosso trabalho com as manobras específicas que serão propostas baseados em nossa avaliação, portanto o trabalho é único e individual.

Os exercícios serão trabalhados no intuito do relaxamento das cadeias musculares, não podemos proporcionar nenhum desconforto de quebras de fibras musculares aos nossos pacientes, logo, os exercícios são realizados com base na respiração, ganhamos crédito de relaxamento durante a expiração e tentamos evoluir com a flexibilização da cadeia muscular em questão, proporcionando ao músculo um crédito de relaxamento durante a fase inspiratória.

Quer saber mais? Continue lendo e confira!

Exercício para ganho de Mobilidade Torácica

Para que o relaxamento das Cadeias Musculares do tronco seja eficaz e duradouro faz-se necessário anteriormente que as articulações vertebrais estejam em condições de mobilidade saudáveis.

Propõe-se uma visão não somente muscular ao tratamento, mas também articular e visceral, baseada nisto, proponho um trabalho de mobilidade torácica a seguir.

Indivíduo em quatro apoios, com as angulações de membros inferiores mantidas a 90 graus de joelho e quadril, e mãos posicionadas abaixo dos ombros. Solicitamos o deslizamento por baixo do tronco de um dos membros superiores rotacionando o tronco, trabalhamos essa movimentação nos mais diversos ângulos possíveis, repetindo o mesmo movimento do outro lado.

Quanto mais detalhistas formos nesse trabalho, melhor serão os resultados obtidos.

É extremamente importante que a pelve esteja estável para que a mobilidade do tronco seja otimizada.

Relaxamento das Cadeias Musculares presentes na Unidade Troco

relaxamento-das-cadeias-musculares-3

Na unidade tronco encontraremos as seguintes cadeias musculares: cadeia de flexão, cadeia de extensão, cadeias cruzadas anteriores e cadeias cruzadas posteriores. O tensionamento nessas cadeias gerará assimetrias no tronco: inclinação, rotação ou uma translação.

Relaxamento das Cadeias Flexoras

Para o relaxamento das cadeias musculares flexoras do tronco proponho alguns exercícios clássicos do Pilates, como: Swan Dive, Swiming, ou ainda, simplesmente o relaxamento dos músculos flexores do tronco, posicionando o aluno em decúbito dorsal, sobre a bola suíça, com os membros inferiores estendidos, e os membros superiores cruzados no tórax.

O terapeuta posicionará uma mão na região cefálica, no início da cadeia de flexão, portanto abaixo do mento, e a outra na região caudal, posicionada próxima ao púbis, inserção dos retos abdominais. Solicite que seu aluno inspire e ao expirar realize uma leve pompage em sentidos opostos das duas mãos, no próximo ciclo inspiratório de ao seu aluno um crédito de relaxamento para na próxima expiração voltar ao exercer a leve pompage.

Repita por 4 ou 5 ciclos respiratórios e solicite que seu aluno saia da bola na posição de 4 apoios afim de não estimular a ação dos músculos que acabaram de ser relaxados.

Relaxamento das Cadeias Extensoras

Para o relaxamento das tensões das cadeias de extensão proponho exercícios clássicos como o: Monkey, Spine Strech no Cadillac, ou ainda o Short Box Series. Todos esses exercícios deverão respeitar os posicionamentos iniciais e fielmente as descrições mecânicas que se seguiram anteriormente.

A única adaptação consta de que quando trabalhamos no intuito do relaxamento das cadeias musculares, não podemos proporcionar nenhum desconforto de quebras de fibras musculares aos nossos pacientes, logo, os exercícios são realizados com base na respiração, ganhamos credito de relaxamento durante a expiração e tentamos evoluir para a flexibilização das cadeias de extensão, proporcionando ao músculo um credito de relaxamento durante a fase inspiratória.

Relaxamento das Cadeias de Flexão e Extensão Unilateralmente

Paciente apoiado sobre os joelhos ou em pé, solicitamos o relaxamento das cadeias musculares retas unilaterais para o lado oposto do qual o Teste de Flexão em Pé (TFP) estiver facilitado, através da solicitação da inclinação lateral do tronco, onde nosso paciente manterá as mãos relaxadas junto ao tronco e a deslizará pelo quadril até a primeira barreira motriz, paramos nela e damos início ao nosso trabalho de relaxamento, incluindo a respiração e os créditos de relaxamento que deverão ser permitidos as cadeias.

Mantemos o paciente em ciclos respiratórios leves de relaxamento que propiciarão ao músculo oxigenação necessária para que relaxe suas tensões, aqui repito, nenhum desconforto de alongamento poderá ser percebido pelo paciente, trata-se de um exercício de relaxamento, nenhum movimento de inclinação do tronco ou báscula de quadril poderá ser permitido.

Contraindicação para esse relaxamento: presença de cálculo renal.

Relaxamento das Cadeias Cruzadas de Flexão do Tronco

Usamos o mesmo relaxamento proposto na bola suíça das cadeias de flexão com uma única alteração que será o posicionamento das mãos.

Caso queiramos relaxar a cadeia cruzada de flexão esquerda, posicionamos nossa mão cefálica no ombro direito do nosso aluno, enquanto nossa mão caudal estará sobre o ilíaco esquerdo, o processo de relaxamento se dará através da respiração como na manobra da cadeia de flexão proposta.

Caso queiramos o relaxamento da cadeia cruzada de flexão a direita, posicionamos nossa mão cefálica no ombro esquerdo do nosso paciente, logo a mão caudal estará sobre o ilíaco direito, o relaxamento será dado através da respiração e créditos de relaxamento proporcionados aos músculos.

Relaxamento das Cadeias Cruzadas de Extensão do Tronco

Nesse caso gosto muito do exercício Butterfly, mais um da série clássica de Joseph Pilates, a qual aproveitaremos o movimento de rotação do tronco proposto no exercício clássico com uma única alteração, como estamos na busca do relaxamento das cadeias musculares cruzadas de extensão do tronco, freamos a rotação do tronco em sua primeira barreira motriz, e a partir daí trabalhamos com os ciclos respiratórios, proporcionando um crédito de relaxamento da cadeia durante a inspiração e tentamos evoluir na rotação durante a expiração.

Caso desejemos relaxar a cadeia cruzada de extensão a direita realizamos a rotação do tronco a direita, e ao contrário, se a necessidade for o relaxamento da cadeia cruzada de extensão a esquerda realizamos a rotação do Butterfly à esquerda.

Ressaltando aqui que estamos na busca do relaxamento das cadeias musculares, logo nenhum tipo de alongamento poderá ser sentido pelo paciente e, deveremos estabilizar de forma objetiva a pelve para que ela não acompanhe a rotação do tronco.

Conclusão

relaxamento-das-cadeias-musculares-4

O Método das Cadeias Musculares aplicada ao Pilates traz uma ampla proposta de tratamento para um corpo que além de muscular, também é articular e visceral.

Unido ao pilates que é uma ciência do movimento, torna-se eficaz e benéfico para o trabalho das cadeias musculares que acontece no relaxamento das tensões, além do trabalho preparatório que busca normalizar as pressões intracavitárias.

Aqui mencionei alguns exercícios que podem servir como base para se começar a trabalhar as cadeias dentro do Pilates. Uma vez entendendo a proposta das cadeias musculares e identificando quais devem ser trabalhadas, fica fácil encaixar uma série de exercícios para que a proposta estabelecida seja eficaz.

Livre o corpo de suas tensões e movimente-se! Movimento é vida!